Novembro Azul: A saúde do homem deve ser priorizada, sempre

CAMPANHA CÂNCER3a

Novembro Azul é uma campanha para lembrar aos homens a necessidade de se preocupar mais com sua saúde, incentivando-os a consultar um médico regularmente e realizar os exames rotineiros que permitem diagnosticar precocemente alguns sintomas característicos de doenças.
Um dos males que mais afeta a população masculina é o câncer de próstata, cuja incidência é muito alta exatamente porque os exames preventivos não são realizados. A razão desses exames não fazerem parte da rotina dos homens é, sobretudo, a falta de informação, preconceitos adquiridos ao longo do tempo e o medo de realizar o exame de toque retal.
No mundo, os registros colhidos pela Organização Mundial de Saúde – OMS – acusam a descoberta de cerca de 1,1 milhão de novos casos a cada ano e, deste total, são registradas mais de 300 mil mortes, a maioria atribuída à descoberta tardia dos cânceres.
No Brasil, os dados do Instituto Nacional do Câncer – INCA – mostram que mais de 61 mil novos casos são descobertos a cada ano e o total de mortes no mesmo período atinge quase 14 mil pessoas.
O câncer de próstata pode ocorrer em qualquer idade, embora a faixa etária com maior incidência esteja entre 40 e 59 anos, período em que tem sido constatado um aumento na próstata ou hiperplasia prostática benigna, que provoca um estreitamento na uretra, gerando dificuldade de urinar.
A obstrução da uretra dificulta a passagem da urina e, consequentemente, obriga a pessoa a ir várias vezes ao banheiro, principalmente à noite, tendo a sensação de que não conseguiu urinar por completo.
Em razão de não apresentar sintomas, o câncer pode se desenvolver sem causar desconforto nos primeiros momentos. Há registros médicos que constataram anos para serem detectados e, na maioria das vezes, só foram descobertos quando já estava em estado avançado e a possibilidade de cura era mais difícil.
Procurar um especialista no assunto, no caso um urologista, é importante para que sejam realizados os exames de rotina e, se for o caso, seja detectado imediatamente se existem alterações e quais providências podem ser tomadas.
Nunca é demais lembrar que o médico de confiança do paciente – qualquer área – pode solicitar os exames iniciais necessários. Se contatada alguma anormalidade, ele mesmo encaminhará para o profissional competente.
O tratamento para câncer de próstata está disponível na rede pública de saúde, inclusive na Santa Casa de Ourinhos, dentro do programa Gente Cuidado de Gente, podendo realizar os exames necessários, desde a prevenção ao tratamento e cura.
Dependendo do caso, o encaminhamento será feito de acordo com o estágio da doença, a idade do paciente e análise de outras eventuais doenças já existentes.
A partir dos 40 anos de idade é recomendável que o homem faça anualmente um exame chamado Antígeno Prostático Específico – PSA- além do procedimento de nome toque retal, cuja finalidade é verificar se existe algum tipo de alteração no formato da próstata e, se necessário, deverá ser providenciado outros exames complementares.
A recomendação não se aplica às pessoas que têm histórico familiar de câncer de próstata, uma vez que, já havendo antecedentes na família, desde sempre é importante fazer os exames preventivos, principalmente porque existem tendências para que o quadro se apresente e, quanto mais precoce a preocupação, maior será a possibilidade de cura.
No caso de constatação de câncer de próstata, as opções que podem ser oferecidas são cirurgia, radioterapia, quimioterapia e outros procedimentos, sempre visando o bem estar daqueles que se submetem aos tratamentos.
Na utilização desses mecanismos, os profissionais têm como objetivo principal a cura total eliminando, sempre que possível, os efeitos colaterais que poderiam comprometer a qualidade de vida do paciente.

Novembro Azul: Entenda a importância do Exame de Toque Retal

 

sc - toque retalO câncer de próstata é o segundo tipo de câncer mais comum no Brasil. Por isso, entender a importância do exame de toque retal é essencial para os homens que desejam se prevenir contra a doença. Atualmente, devido ao preconceito, são poucos os homens que fazem o exame.
A próstata é uma glândula masculina que fica localizada à frente do reto, abaixo da bexiga e tem o tamanho de uma noz. Esse tipo de câncer se manifesta principalmente nos homens que atingem a idade de risco, que é de 50 anos, mas não é preciso esperar atingi-la para começar a se prevenir. Por isso, recomenda-se que homens já façam o exame de toque retal a partir dos 40 anos.
COMO O EXAME DE TOQUE RETAL
É REALIZADO?
O exame é realizado por um urologista. Através do toque, a próstata poderá ser avaliada internamente. O exame pode identificar doenças benignas (Prostatite e Hiperplasia Prostática Benigna, por exemplo), inflamações no canal retal e uma das doenças mais graves e temidas pelos homens: o câncer de próstata.
O exame é indolor, mas pode gerar algum desconforto se o ânus não estiver devidamente relaxado. Com a utilização de luvas, o médico então lubrifica o seu dedo, que será introduzido no reto do paciente. Ele pede ao paciente para que faça um leve esforço, similar ao esforço feito na hora de defecar. Esse esforço facilita a protusão da mucosa. Então, o médico insere o dedo indicador no reto, passa pelo ânus e ao tocar na próstata, a apalpa para verificar se ela está normal ou se o paciente sente dor ao seu toque. Quando a próstata está inchada, o médico não consegue introduzir o dedo por inteiro no reto, o que já é um sinal preocupante.
A IMPORTÂNCIA
DO EXAME
DE TOQUE RETAL
Geralmente, o câncer de próstata se manifesta após quatro anos, quando já em estágio avançado. Por isso, o exame de toque retal é importante para que sejam identificadas possíveis anormalidades na glândula e para que o tratamento possa ser iniciado o mais rápido possível.
Através desse exame, é possível identificar também o volume, a sensibilidade, a consistência, irregularidades e a mobilidade da próstata. É importante fazer o exame de toque retal porque muitas doenças e tumores se manifestam na porção do reto que fica afastada do centro. Também é importante saber que o toque retal levanta a suspeita do tumor e de outros problemas na próstata, mas apenas a biópsia pode confirmar o câncer e sua gravidade.
CAMPANHA
NOVEMBRO AZUL
Durante o mês de novembro o Setor de Oncologia da Santa Casa de Ourinhos, em apoio à Campanha Novembro Azul, estará realizando consultas com Dr. Luis Felipe Vellacich Yubi, especialista em Urologia, para fazer os exames preventivos do câncer de próstata com descontos na consulta e no exame de PSA.
Aproveite e faça o agendamento no Hospital Dr. Monzillo ou pelo

Campanha Novembro Azul

sc - toque retal

Durante o mês de novembro o Setor de Oncologia da Santa Casa de Ourinhos, em apoio à Campanha Novembro Azul, estará realizando consultas com Dr. Luis Felipe Vellacich Yubi, especialista em Urologia, para fazer os exames preventivos do câncer de próstata com descontos na consulta e no exame de PSA.
Aproveite e faça o agendamento no Hospital Dr. Monzillo ou pelo fone (14) 33241569.

Novembro Azul: A saúde do homem deve ser priorizada, sempre

Dando continuidade ao trabalho de conscientização sobre a prevenção do câncer de próstata a Equipe de Comunicação conversou com Hélida Cassiana de Oliveira, enfermeira oncológica do Departamento de Oncologia da Santa Casa de Ourinhos que atende no Hospital Dr. Monzillo.

helida - oncologia

O que é a campanha do novembro azul?
Essa campanha tem o intuito de orientar os pacientes na prevenção do câncer de próstata. Como é uma doença silenciosa, muitos demoram a perceber os sintomas.
Ela começa com retenção urinária e há um volume da próstata e aí começam a procurar o médico para fazer exames.
Quais são os exames que os pacientes devem procurar?
Os exames feitos são o PSA – Antígeno Prostático Específico, que através do resultado dele o médico pode pedir exames complementares como um ultrassom de próstata ou uma tomografia de pelve para avaliar o tamanho e o peso dessa próstata. Em alguns casos mesmo fazendo a hormonioterapia a próstata não diminui e é necessário fazer a cirurgia, que é a castração. A maioria dos pacientes não gostam de fazer porque dizem que deixa impotente, mas as vezes não interfere em nada.
Podemos falar em causas para o câncer de próstata?
Muitas vezes pode ser hereditário ou um desequilíbrio hormonal que faz crescer essa próstata, pois é o hormônio. Os pacientes que têm o câncer de próstata não vão morrer disso, porque essa doença não mata. É uma disfunção hormonal que aumenta os níveis de testosterona e apresenta o câncer de próstata.

Como os pacientes podem se prevenir do câncer de próstata?
A partir dos 45 anos de idade o paciente precisa coletar o PSA – Antígeno Prostático Específico, que é um exame de sangue e através desse exame, anualmente, o médico vai avaliando. Se começa a subir os níveis o médico vai pedir exames mais complementares que é o toque retal ou a ultrassom de próstata.
A maioria dos homens tem medo de vir ao médico porque acham que de início já vai ter que realizar o exame de toque retal, mas não necessariamente, pois primeiro começamos a investigação com exames de sangue para avaliar a taxa hormonal e se está estiver alterada ou se o paciente começar a apresentar sintomas de retenção urinária, aí sim o médico vai pedir o exame de toque retal para ver se a próstata está aumentada. O exame de toque retal é desconfortável, mas é um procedimento simples e rápido que ajuda muito no diagnóstico precoce do câncer de próstata

Novembro Azul: uma conversa com quem já teve câncer de próstata

A Equipe de Comunicação conversou com Vagner Breve, Diretor do Conselho Fiscal da Santa Casa de Ourinhos e que teve câncer de próstata. Ele nos dá seu testemunho.

Como você descobriu o câncer de próstata?
Eu já tenho muito comigo a ideia de prevenção pois acredito muito nela, então sempre fiz os meus check-ups e a partir dos meus 50 anos de idade comecei a fazer esses exames específicos; colonoscopia, o exame de toque retal e o PSA – Antígeno Prostático Específico. Todo ano eu fazia esses exames, mas na correria do dia a dia fiquei dois anos sem realizar os exames e quando fiz, a novidade estava aí.
O que o você sentia?
Eu não sentia nada, foi muito silencioso. Durante esses dois anos que fiquei sem realizar os exames não sentia nada de diferente.
Quais foram os procedimentos/tratamentos que teve de realizar?
O câncer é uma doença que assusta, então antes de falar de tratamentos eu digo que quando temos a suspeita de que o câncer exista nós fazemos os exames e dependendo dos resultados a nossa cabeça vai a mil. A gente sempre pensa que vai morrer ou que vai passar por um processo de sofrimento. Tive amigos que tiveram o câncer e talvez por estar em um estágio mais avançado, passaram por um processo de sofrimento. Por isso da importância da prevenção, pois se descobrimos cedo fica muito mais fácil de tratar.
Depois da biópsia tive que fazer a cirurgia para retirar a próstata. Eu optei pela cirurgia porque acreditava que se tirasse o problema já resolveria tudo. Existem vários tipos de cirurgias, eu optei por uma tecnologia em São Paulo de fazer por robô.
Como foi a adaptação e recuperação depois dos tratamentos?
No meu caso não precisei fazer quimioterapia e radioterapia, apenas o acompanhamento. O pós-cirúrgico a gente fica um período de recuperação, tem que usar fralda porque fica um tempo com incontinência urinária. No meu caso não ficou nenhuma sequela porque respeitei o período de recuperação. Depois do pós-operatório é vida normal, porém precisa fazer o acompanhamento.
Uma cirurgia o ideal são 3 meses se recuperando e eu respeitei esse tempo, por isso não tive nenhuma consequência negativa.
Você teve que mudar os seus hábitos de vida? O que passou a ser diferente?
Na realidade não, é vida normal mesmo. Nunca fui de beber e de extravagâncias; minha alimentação também é comum. O que eu penso é que precisamos desmistificar o câncer. É uma doença que assusta, não só o paciente, mas também a família. Várias doenças se você descobre cedo, na prevenção, tem chances enormes de cura. Existem doenças que matam mais que o câncer.
Você faz um acompanhamento? De quanto em quanto tempo?
Agora é um outro momento. Depois da cirurgia, por um período de 1 ano e alguns meses, meus exames estavam normais, mas agora estão alterados. Só que tem o acompanhamento e os parâmetros que os médicos usam, eu ainda estou dentro desses parâmetros, de um limite de segurança.Depois da cirurgia comecei a fazer o acompanhamento a cada 3 meses, depois a cada 6 meses, e como o PSA começou a alterar acompanho com maior frequência, costumo falar que estou no sinal amarelo. Se ele começar a alterar teremos que pensar em outras formas de tratamento; radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e aí começa outra etapa.
Qual a importância de ter o diagnóstico precoce?
Essa questão do diagnóstico precoce, principalmente para o homem, ainda é que são tabu. O exame de toque retal há uma conotação muito forte de preconceito, então precisamos fazer com que o homem se liberte desse preconceito. O exame de toque retal não vá influenciar na masculinidade de ninguém. Eu escutava que de cada 6 homens, 1 teria o câncer e eu pensava que nunca teria porque sempre acreditamos que o outro é que vai ter e não nós.
Então precisamos quebrar esse preconceito e desmistificar o câncer para que as pessoas passem por esse momento de cabeça erguida.
O que significa a campanha do novembro azul para você?
Penso que a campanha serve para chamar a atenção da população em fazer a prevenção do câncer. Acredito também que a campanha já deveria trazer a questão do preconceito, de mudança de paradigma e de queda desse tabu.
Depois da experiência qual o recado que você deixa para as pessoas com relação a prevenção?
Eu tive um amigo que morreu de câncer de próstata com 51 anos de idade e para mim foi terrível. Depois disso tive a conscientização de fazer os exames.
A mensagem que eu deixo é de que os homens façam a prevenção porque é muito melhor descobrir no começo da doença do que quando já estiver muito avançado.
Não haviam casos de câncer na minha família e me deixava na zona de conforto, pensava que não precisava me preocupar em realizar exames preventivos.

Novembro Azul: Prevenir é o melhor remédio

cp1

O câncer de próstata é o câncer que mais afeta a população masculina do nosso país depois do câncer de pele. Somente em 2014, segundo o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), era esperado um aumento de 68.800 novos casos da doença no Brasil.
Apesar de ser uma doença grave, cerca de 90% dos casos são passíveis de cura, desde que o diagnóstico seja realizado precocemente.
É nesse ponto que se encontra o maior desafio: o preconceito. A maioria dos homens evita procurar o médico por temer o exame de toque retal, que, além do câncer, é importante para diagnosticar outros problemas anorretais e da próstata.A fim de conscientizar a população, principalmente a masculina, sobre os riscos do câncer de próstata, formas de prevenção e as maneiras de diagnosticar a doença, surgiu o movimento internacional Novembro Azul. Durante todos os trinta dias de novembro são realizadas campanhas de esclarecimento sobre a doença, além da iluminação dos pontos turísticos ao redor do mundo como forma de divulgar o movimento. Comemorado inicialmente na Austrália em 2003, esse mês foi escolhido porque é o mesmo em que se comemora o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata.
CÂNCER DE PRÓSTATA
O câncer de próstata evolui lentamente, sendo assim, os sintomas são percebidos quando a doença já está em estágio avançado, dificultando o tratamento. Os principais sintomas desse tipo de câncer é a diminuição do jato de urina e uma mudança na frequência urinária, que aumenta. Também pode ser observada alguma dificuldade ao urinar.
Para diagnosticar o câncer de próstata, é fundamental a realização do exame de toque e o de sangue, que é conhecido como PSA (Antígeno Prostático Específico).
Recomenda-se que, a partir dos 50 anos, o urologista seja procurado anualmente para a realização dos exames. Pacientes que possuem histórico familiar da doença devem procurar o médico a partir dos 45 anos de idade.
Estima-se que homens com parentes próximos que tiveram esse tipo de câncer antes dos 60 anos possuem, em média, 3 a 10 vezes mais riscos de desenvolver essa neoplasia.Sendo assim, ficar atento aos sinais do corpo e procurar o médico com frequência é extremamente importante para diagnósticos precoces e tratamentos mais eficientes.
Não deixe, portanto, que o medo ou a vergonha sejam empecilhos para o cuidado com a saúde.
Nós somos a Santa Casa… e aqui é gente cuidando de gente.