Colaboradores da Santa Casa participam de palestra sobre alcoolismo e outras drogas

73a9ded9-a39a-4ed2-83c7-b5d138af1265

Colaboradores da Santa Casa de Ourinhos participaram no último dia 27 de fevereiro de uma palestra promovida pelos setores de Recursos Humanos e Psicologia do hospital com o tema Saúde Mental: Alcoolismo e outras drogas.

A palestra foi ministrada pela psicóloga e professora da UniFio, Bárbara Sinibaldi, que conversou com os colaboradores sobre os riscos do uso e abuso de substâncias de álcool e drogas lícitas e ilícitas na vida das pessoas. “Pesquisas apontam que no Brasil, cerca de 68% da população faz algum tipo de uso abusivo de álcool na sua vida. Então essas palestras são importantes para discutir e refletir sobre essa problemática.”, disse a profissional.

Além de apresentar inúmeras informações sobre o tema, a psicóloga e professora da UniFio, Bárbara Sinibaldi, também esclareceu várias dúvidas que surgiram durante o bate o papo com os colaboradores.

As palestras promovidas são importantes para a conscientização dos colaboradores sobre os temas apresentados. Este ano, por exemplo, os setores de RH e de Psicologia criaram um ciclo de palestras para abordar o tema saúde mental. Serão debatidos vários temas durante todo o ano aproveitando datas de cada mês. Em março, será dedicado as mulheres.

Mural da gratidão da Santa Casa de Ourinhos estimula colaboradores com elogios de pacientes

17674d5d-f5de-49c5-9429-bd997480474d

Com o objetivo de valorizar e estimular os colaboradores, a Santa de Casa de Ourinhos tem um importante projeto que traz, sob o olhar dos pacientes, o reconhecimento do atendimento prestado no dia a dia no hospital. Trata-se do Mural da Gratidão, criado pelas equipes de Recursos Humanos e de Enfermagem.

O espaço dedicado à divulgação das respostas e elogios de questionários respondidos pelos pacientes sempre existiu. Porém, a pedido da Gerência de Enfermagem, o Setor de Recursos Humanos deixou o mural mais atrativo. “Primeiro decidimos mudar o nome de Mural de Elogios para Mural da Gratidão e também a nossa colaboradora Thays Darroz passou a desenvolver as artes com os agradecimentos, que deu mais vida as mensagens”, explicou Andrei Nelson Fermiano, do setor de RH da Santa Casa.

O Mural da Gratidão fica próximo ao cartão de ponto e expõe os elogios feitos pelos pacientes internados e seus familiares, em relação ao atendimento recebido na Santa Casa de Ourinhos. Entre as dezenas de agradecimentos postadas semanalmente, estão um para a Ala B cujo paciente destaca o profissionalismo e a humanização dos colaboradores e também direcionado ao Técnico de Enfermagem, Eder Ribeiro da Silva, citando-o “como exemplo aos demais” e ainda “seguro e humano com os pacientes e seus familiares”.

De acordo com Andrei, todos os dias os colaboradores dedicam alguns minutos para ler os agradecimentos e ver se o seu nome ou setor onde atua dentro do hospital teve o reconhecimento de algum paciente. “Notamos que os colaboradores param para ler as mensagens e alguns até nos perguntam se não tem algum agradecimento a ser publicado. A gente espera que com esta ação, nossos colaboradores se sintam ainda mais motivados para prestar cada vez mais um atendimento de qualidade e humanizado aos nossos pacientes”.

UTI Infantil da Santa Casa de Ourinhos completou 30 anos

DSCN9963

No último dia 13 de janeiro, a Unidade de Terapia Intensiva Infantil da Santa Casa de Ourinhos completou 30 anos de atividades. Ao longo dessas três décadas, o setor tem recebido cada vez mais investimentos e novos profissionais para oferecer um atendimento de qualidade e de excelência para os bebês e crianças que necessitam de cuidados intensivos.

O início das atividades da UTI Infantil ocorreu no dia 13 de janeiro de 1990, por absoluta necessidade, já que havia uma criança gravemente enferma que necessitava de tratamentos intensivos. Até então as crianças de estado grave de Ourinhos e região morriam ou eram com muitas dificuldades removidas para centros médicos maiores.

Foi por meio dessa necessidade que o pediatra Dr. José Luiz de Lima convidou o colega de profissão, Dr. Éder Carvalho de Sousa, para coordenar e desenvolver um trabalho, com a missão de construir uma Unidade de Terapia que prestasse atendimento adequado com qualidade técnica, humanizada e salvasse vidas que estavam apenas começando. A partir dai, Dr. Éder teve o apoio de Dr. José Luiz e Dr. Ronaldo Canizella, para organização do serviço qualificado.

A UTI Infantil começou em um quarto improvisado, porém motivado pelo desejo de construir uma unidade médico-hospitalar que tratasse de um serviço de qualidade aos pequenos pacientes gravemente doentes que necessitassem dos cuidados intensivos.

Não foi uma tarefa fácil, sabidamente, mais difícil foi montar uma UTI que requer uma área específica, equipamentos de monitorização e suporte vitais caríssimos, além de manter suas necessidades de recursos de diagnósticos e tratamento, e que têm alto custo constante.

No segundo semestre de 2019, a UTI Infantil foi transferida para um novo espaço e agora completa a estrutura do Centro Materno Infantil. A nova UTI possui uma estrutura mais ampla e moderna, o que garante um melhor atendimento aos bebês. Além disso, o local conta com uma decoração que torna o espaço mais leve e acolhedor.

A UTI Infantil da Santa Casa de Ourinhos é uma área mista, onde atende recém-nascidos, lactantes, pré-escolar e escolar (até 14 anos), possui 10 leitos sendo 07 na área aberta e 03 para isolamento, dos quais 06 leitos são destinados ao atendimento dos usuários do SUS e 04 leitos a convênios e particulares.

A equipe médica é formada por 10 pediatras, com especialização em Neonatologia e Pediatria, já a equipe de enfermagem é composta de 01 Enfermeira Supervisora, 05 Enfermeiras Assistenciais e 28 Técnicas de Enfermagem, além da equipe de fisioterapia composta por 05 Fisioterapeutas,1 Fonoaudióloga e apoio do serviço de Psicologia.

Ourinhos tem se mantido com os menores índices de mortalidade infantil do Estado de São Paulo e do Brasil, por várias ações, mas, sem dúvida, muito se deve a UTI Infantil, que é um motivo de orgulho para a Santa Casa, no atendimento prestado a toda população ourinhense.

Voluntária Léa Gonçalves: uma das grandes incentivadoras do café para pacientes da Unidade de Oncologia da Santa Casa de Ourinhos

No final de 2019, a Unidade de Oncologia da Santa Casa de Ourinhos inaugurou a Sala de Acolhimento, uma iniciativa do próprio hospital em parceria com os grupos de voluntárias “Amigas do Peito” e “Mãos Solidárias”.

A sala é um novo espaço na Unidade de Oncologia com uma estrutura totalmente mais adequada para que os pacientes e seus familiares que realizam o tratamento oncológico no hospital possam tomar o café da manhã e da tarde em um ambiente mais acolhedor e aconchegante.

Porém, a ideia de oferecer café aos pacientes teve como grande incentivadora uma das pacientes da Unidade de Oncologia. Em 2017, Wanderléa Gonçalves, mais conhecida como Léa, realizava o tratamento de câncer de mama e conheceu duas pacientes, que também estavam tratando a doença.

Interessadas em contribuir com um trabalho voluntário em prol a Unidade de Oncologia, as três pacientes decidiram desenvolver alguns projetos para o hospital e criaram o Grupo Amigas do Peito.

Entre as ideias do grupo surgiu o café da manhã e da tarde. “Cada uma de nós três trazia de suas casas alimentos para tomar café da manhã. E assim começamos a perceber o quanto os pacientes gostavam desse acolhimento em forma de café, pois, além dos alimentos servidos, aproveitávamos o momento para conversar e compartilhar experiências com os pacientes, uma vez que já havíamos passado pelo mesmo tratamento”, contou Léa.

Além disso, Léa contou também que muitos pacientes viajavam para Ourinhos sem tomar café da manhã em suas casas e até mesmo ficavam muito tempo à espera pela consulta ou em tratamento. “Por isso o café servido era extremamente confortável e importante, pois fazia toda a diferença durante aquele tempo”.

Após a demanda aumentar e também notarem a boa receptividade de todos com o café, as voluntárias foram em busca de doações de padarias e supermercados. “Tivemos êxito em receber as doações e foi aí que surgiu a colaboração de outro grupo voluntário (Mãos Solidárias ), que passou a servir também o café da manhã aos pacientes”.

Em novembro de 2019, Lea Gonçalves esteve presente na inauguração da Sala de Acolhimento e ficou extremamente feliz em ver o crescimento do projeto iniciado há três anos. “Precisava de um espaço mais acolhedor, porque a gente percebe que o hospital está cada vez com um ambiente mais humano, fazendo com que o paciente se sinta bem, mesmo sabendo que a luta será grande”.

Médico Infectologista da Santa Casa esclarece dúvidas sobre o Coronavírus

84713674_1225635044309631_1233413667089809408_n

Nas últimas semanas, informações sobre o surto do novo coronavírus têm tomado conta dos noticiários de todo o mundo.

Por tratar-se de uma nova doença, existem muitas dúvidas e até mesmo informações falsas sobre o tema. Com isso, conversamos com o médico infectologista da Santa Casa de Ourinhos, Dr. Luís Augusto Mazzetto, que esclareceu as principais dúvidas sobre a doença.

– O que é o Coronavírus?
Dr. Luís: Coronavírus são vírus que infectam animais vertebrados. Existem diversas espécies e habitualmente eles possuem um hospedeiro específico, sendo que ocasionalmente passam a infectar outras espécies de vertebrados. Esse coronavírus que atualmente causa uma epidemia na China parece ter se disseminado a partir de um grande mercado popular na cidade de Wuhan, província de Hubei. Já foi vinculada a hipótese de que tenha sido transmitido ao ser humano a partir de morcegos ou de cobras.

-Por que estão chamando de novo Coronavírus?
Dr. Luís: A denominação atual de 2019-nCov, ou novo coronavírus serve para diferenciar a epidemia atual de outras que também emergiram há alguns anos, como o SARS-CoV em 2002-2003 na China e o MERS-CoV em 2012 no Oriente Médio.

– Como o coronavírus é transmitido?
Dr. Luís: Como toda doença infecciosa nova, ainda não conhecemos por completo os mecanismos de transmissão, mas, aparentemente, se assemelha muito à transmissão do vírus da gripe (influenza), através de gotículas respiratórias expelidas pela fala, tosse e espirro da pessoa doente ou pelo contato com secreções respiratórias que contaminam as mãos, objetos, superfícies e depois acabam entrando em contato com as mucosas dos olhos, do nariz ou da boca da pessoa susceptível.

– Quais os sintomas da doença?
Dr. Luís: O quadro clínico aparentemente é bastante variável, indo desde sintomas leves, semelhantes a um resfriado comum até casos graves que evoluem com insuficiência respiratória (Síndrome Respiratória Aguda Grave) com acometimento renal associado.

– Como é o tratamento da doença?
Dr. Luís: Até o momento, não existe nenhum tratamento específico que seja comprovadamente efetivo para 2019-nCoV. Portanto, o tratamento é baseado no repouso, hidratação, medicamentos para alívio dos sintomas e nos casos graves as medidas de suporte como ventilação, drogas que mantém a pressão e diálise quando necessário.

– O coronavírus causa risco de morte?
Dr. Luís: Sim, a taxa de letalidade mostrada nos estudos feitos até o momento fica em torno de 2 a 3%. Em termos comparativos é inferior às outras epidemias por Coronavírus como a SARS-Cov (10%) e a MERS-Cov (36%).

– Como as pessoas podem se prevenir do coronavírus?
Dr. Luís: A prevenção nesse momento consiste em evitar viagens aos locais com grande número de casos, evitar contato com pessoas provenientes desses locais que apresentem sintomas febris ou respiratórios. Além disso, evitar aglomerações, lavar as mãos com frequência, evitar tocar na boca, olhos e nariz e cobrir a boca e o nariz ao tossir ou espirrar.

– Existe um caso suspeito da doença em Bauru. As pessoas devem se preocupar com um possível surto?
Dr. Luís: Pelo que tenho acompanhado, a Secretaria de Saúde de Bauru confirmou apenas que possuem um caso suspeito. O exame confirmatório é realizado no Instituto Adolfo Lutz em São Paulo, o resultado demora de 7 a 10 dias para sair e a própria Secretaria de Estado da Saúde divulga o resultado. Até o momento, não há nenhum caso divulgado oficialmente, ainda é uma epidemia restrita à China e de pessoas que estiveram lá. Como ocorre a transmissão de pessoa para pessoa existe sim a possibilidade de tornar-se uma pandemia e de chegar ao Brasil.

Vale salientar que não devemos desviar a nossa atenção dos problemas e doenças que neste momento são motivos de maior preocupação no nosso país, como a dengue e uma possível reemergência da febre amarela, doença prevenível com vacina. Especificamente na nossa região, com a febre maculosa, que tivemos casos graves e óbitos.

Rotary Club de Ourinhos e Lojas Cem fazem doação de alimentos para a Unidade de Oncologia da Santa Casa de Ourinhos

83690979_1225097644363371_4879257335597367296_n

Em mais um gesto de solidariedade, o Rotary Club de Ourinhos realizou a doação de alimentos para a Unidade de Oncologia da Santa Casa de Ourinhos. A campanha de arredação dos donativos foi organizada pela Lojas Cem, graças à ação do diretor Domingos.

Os alimentos serão utilizados no preparo das refeições servidas aos pacientes e acompanhantes. O diretor clínico da Unidade de Oncologia, o médico radio-oncologista Dr. Norberto de Souza Paes, recebeu a doação representando o hospital.

“Agradeço a iniciativa do Rotary e da Lojas Cem. Os alimentos são muito importantes para a Unidade de Oncologia. Recebemos centenas de pacientes todos os meses e a alimentação tanto de quem está em tratamento, quanto do acompanhante é fornecida pelo hospital”, disse Dr. Norberto.

Santa Casa de Ourinhos inaugura Centro de Ensino “Enfa. Eliska Sedlák”

O dia 31 de janeiro ficará marcado na história da Santa Casa de Ourinhos. Após décadas, o hospital concretiza um antigo sonho e retoma as atividades na área da formação profissional. A partir de março, estará em pleno funcionamento o Centro de Ensino “Enfa. Eliska Sedlák”, que terá como objetivo inicial formar profissionais de nível técnico, por meio de um ensino com ênfase na área hospitalar.

A inauguração do Centro de Ensino, que fica situado na praça Dr. Hermelino Agnes de Leão, em frente ao hospital, aconteceu na manhã de sexta-feira, 31 de janeiro. Participaram da solenidade o presidente, Celso Zanuto, diretores colaboradores do hospital, a homenageada Enfa. Eliska Sedlák, a diretora da escola Eleida Maísa Zanuto, a secretaria de Saúde, Cassia Palhas, os vereadores: presidente Enfermeiro Alexandre, Alexandre Zóio e Raquel Spada, o Diretor da Faculdade Estácio de Sá Leandro Mendes Lopes e outras autoridades.

O Centro de Estudos e Formação Profissional irá, neste primeiro momento, ofertar o curso de Técnico em Enfermagem. As inscrições já foram abertas e mais de 400 pessoas se inscreveram. Nas próximas semanas será realizado o processo seletivo para preencher as 20 vagas da primeira turma. O curso terá quatro módulos semestrais, com aulas de segunda a sexta das 19h10 às 22h40, e terá duração de dois anos. As aulas estão previstas para começarem em março.

A Santa Casa de Ourinhos, com o compromisso de formar profissionais para atuar na área de técnica de enfermagem, terá no corpo docente professores extremamente preparados, conteúdo didático e prático de excelência. Um detalhe importante é que os alunos farão o estágio no hospital.

Além disso, o Centro de Ensino possui uma estrutura completa composta por salas de aula, Laboratório de Informática, Laboratório de Anatomia e Enfermagem, Biblioteca e demais espaços como sala de professores, assessoria pedagógica e refeitório.

Celso Zanuto falou da felicidade de conseguir tirar do papel mais um projeto que foi sonhado durante décadas. Para o presidente da Santa Casa, o Centro de Ensino buscará novos profissionais de nível técnico, que sejam capazes de assumir seu papel como agentes de saúde com ênfase no ambiente hospitalar. “Não queremos concorrer com ninguém, mas queremos elevar o nível de conhecimento prático para ter um profissional preparado para o trabalho”, disse ele que também citou outras especialidades como técnicos de Raio-X, Nutrição Hospitalar e Cuidados Paliativos como futuros cursos a serem implantados.

O presidente aproveitou para anunciar que os alunos que tiverem nota máxima no primeiro ano poderão ficar isentos da mensalidade, e aqueles que somarem boas médias poderão, após se formarem, iniciar com trabalho remunerado no hospital.

Eleida Zanuto, que possui mais de 33 anos de trabalho e experiência na direção pedagógica, agradeceu o convite da Santa Casa para ser a diretora do Centro de Ensino e enfatizou que os alunos terão uma formação profissional humanizada. “Fui recebida com carinho por uma equipe competente e comprometida, que busca formação humanizada e atendendo de forma eficiente. Estou feliz por fazer parte desse projeto. Os nossos futuros alunos podem esperar uma formação humanizada, com profissionais competentes, o que a gente vai propor no curso é uma formação onde eles realmente possam dar o melhor e que possam atuar dentro da área da Santa Casa”.

Eliska Sedlák ficou emocionada com a homenagem e feliz pela Santa Casa retomar a escola de formação. “É uma grande honra ter o seu nome designando em uma escola voltada ao ensinamento na área da saúde, que é meu projeto de vida, pois me dediquei a atender pacientes e ensinar enfermagem, seja no hospital, na rede pública ou nas escolas. Fico feliz com isso, mas minha maior alegria não é somente essa, mais a existência e a fundação de uma nova escola de enfermagem. Há 43 anos quando cheguei na Santa Casa, a primeira escola havia sido fechada. A Santa Casa ficou esses anos todos dependendo das escolas da cidade e agora vai ter a possibilidade de formar profissionais dentro da sua linha de conduta e do seu trabalho ético, profissional”.

Farmácia da Santa Casa: qualidade e segurança na distribuição de medicamentos

20 de janeiro é o Dia do Farmacêutico e para comemorar a data e enaltecer a profissão vamos apresentar o trabalho realizado na Farmácia Central da Santa Casa de Ourinhos.

A farmácia hospitalar é um setor importantíssimo dentro da instituição, pois garante a qualidade da assistência prestada aos pacientes, por meio do uso seguro de medicamentos.

Na Santa Casa de Ourinhos, a Farmácia Central distribui diariamente, em média, 3.500 medicamentos, que atendem os pacientes do hospital geral e do Ambulatório de Especialidades Médicas. A Unidade de Oncologia tem uma farmácia própria.

A farmácia é um setor do hospital que contribui no processo de cuidar da saúde, visando controle, uso seguro e racional dos medicamentos e materiais médicos. O farmacêutico hospitalar é o profissional responsável por toda a atividade logística, manipulação, atividade focada no paciente, atividades setoriais e garantia de qualidade.

“É um trabalho dinâmico, dificilmente temos a mesma rotina todos os dias, pois temos vários fluxos de trabalho, diversos profissionais trabalhando juntos. Nosso foco é sempre o paciente, temos que assegurar que receba o medicamento de forma segura e para isso gerenciamos o uso do medicamento desde o momento que adquirimos, até a distribuição”, conta a farmacêutica responsável pela Farmácia Central, Thaís Giron Miranda.

Thaís explicou como funciona o trabalho dentro da Santa Casa. “O processo com o medicamento se inicia na área de recebimento, onde é enviado à Farmácia Central para o setor de etiquetagem. Esse setor realiza a unitarização através de códigos de barras e em seguida o medicamento vai para o estoque e, na sequência, para a dispensação. Então, são separados conforme prescrição médica por horário e paciente e, posteriormente, entregue no posto de enfermagem para que possa ser administrado. Temos total controle, é possível obter todas as informações do processo por meio de um sistema eletrônico de rastreabilidade”.

A Farmácia Central da Santa Casa de Ourinhos funciona 24 horas, de segunda a domingo.

Colégio Jean Piaget doa duas cadeiras de rodas para Santa Casa de Ourinhos

15c3af72-3563-4e5b-a86c-5ce9aa736eb0

Mais uma vez o Colégio COC Jean Piaget demonstrou seu lado solidário ao doar mais duas cadeiras de rodas para a Unidade de Oncologia da Santa Casa de Ourinhos.

A doação é fruto de uma campanha de solidariedade desenvolvida pelo colégio junto aos alunos. As cadeiras foram entregues na última semana pela diretora Nilva Elena Borges, e pelos alunos para a voluntária da Santa Casa de Ourinhos, Neide Campion, que agradeceu a escola por contribuir mais uma vez com doações para a Unidade de Oncologia.

O diretor da Unidade de Oncologia, o medico radioncologista Dr. Norberto Paes, destacou a importância das cadeiras de rodas para os pacientes do hospital. “É uma iniciativa muito bonita porque partiu de uma instituição de ensino e ajuda a criar um espirito de solidariedade e cidadania nos alunos. Essas cadeiras são muito importantes, porque os pacientes chegam aqui e muitos têm dificuldades para andar devido ao tratamento. Esse envolvimento da sociedade com o hospital faz o nosso trabalho ser cada vez maior e reconhecido”.

Unidade de Oncologia da Santa Casa de Ourinhos inaugura Sala de Acolhimento para pacientes

Os pacientes atendidos na Unidade de Oncologia da Santa Casa de Ourinhos passam a contar com um novo espaço de acolhimento, uma iniciativa do próprio hospital em parceria com os grupos de voluntárias “Amigas do Peito” e “Mãos Solidárias”.

As instalações foram entregues na última sexta-feira, 29 de novembro, e contou com a presença do presidente da Associação da Santa Casa de Ourinhos, Celso Zanuto; o diretor da Unidade de Oncologia, o médico radioncologista Dr. Norberto Paes; o administrador da Santa Casa, Fernando Abreu; o diretor de comunicação, Alexandre Mariani; representando o prefeito Lucas Pocay, a secretária de Saúde, Cassia Palhas; representando o Deputado Federal Capitão Augusto, o coordenador regional do PL, Gil Carvalho; o chefe de gabinete de Ourinhos do Deputado Capitão Augusto, Diógenes Correa Leite; a assessora do Deputado Federal Vinícius Carvalho, Cintia Ferraz; os vereadores Cido do Sindicato, Sargento Sérgio e Alexandre Zóio; as voluntárias dos grupos “Amigas do Peito” e “Mãos Solidárias”, além de diretores e colaboradores do hospital.

A Sala de Acolhimento foi construída ao lado da recepção, onde era servido o café. Trata-se de um local com uma estrutura mais adequada para que os pacientes e seus familiares que realizam o tratamento oncológico no hospital possam tomar o café da manhã e da tarde em um ambiente mais acolhedor e aconchegante.

Os produtos oferecidos no café da manhã e da tarde na Sala de Acolhimento são todos doados pela sociedade e diversas empresas de Ourinhos e região. Inclusive, o maior fornecedor de pães é de uma padaria da cidade de Canitar.

O presidente da Santa Casa, Celso Zanuto, destacou que o hospital irá se empenhar cada vez mais para criar espaços que possam proporcionar melhor acolhimento e humanização aos pacientes. Além disso, falou da importância da nova sala. “É importante que tenhamos esse espaço de acolhimento, porque tem muita gente que vem de longe realizar o tratamento sem tomar café e até mesmo não tem condições de comprar uma refeição. Temos também que agradecer as voluntárias Amigas do Peito e Mãos Solidárias por terem iniciado esse projeto de oferecer o café para os pacientes”.

O médico radioncologista, Dr. Norberto Paes, agradeceu a todos em nome dos pacientes da Unidade de Oncologia. “Faço esse agradecimento a diretoria da Santa Casa e as voluntárias que realizam esse trabalho maravilhoso conosco, em nome dos pacientes da nossa unidade, porque trabalhamos para oferecermos para eles o melhor tratamento e acolhimento”.

A secretária Cassia Palhas parabenizou a diretoria da Santa Casa e principalmente as voluntárias pelo trabalho que realizam na unidade. “Já estive aqui em outras oportunidades e percebi que o café é servido com muito amor e carinho. É uma refeição importante, porque os pacientes muitas vezes não têm nada para comer quando chegam aqui para o tratamento. Em nome do prefeito Lucas Pocay, quero deixar parabéns a todos, principalmente as voluntários que fazem um trabalho diferenciado”.

Gil Carvalho, que representou o Deputado Federal Capitão Augusto na inauguração, também fez questão de enaltecer o trabalho do hospital e das voluntárias em benefício dos pacientes. “Quero parabenizar o Celso Zanuto e o Dr. Norberto pelas ações realizadas junto a Unidade de Oncologia, os grupos Amigas do Peito e Mãos Solidárias pela dedicação e pelo trabalho voluntário e ao Deputado Capitão Augusto, que realiza um belo trabalho junto a Santa Casa, a Oncologia e a Saúde do nosso município, com liberação de mais de R$ 10 milhões em emendas, algumas a meu pedido, para que sejam investidos na melhoria da estrutura e do atendimento aos pacientes do hospital”.

Lea Gonçalves, voluntária do grupo Amigas do Peito, ficou feliz com o novo espaço. “Estou aqui desde 2017, quando cheguei para realizar o tratamento contra o câncer de mama. Naquela época era servido apenas chá e café com bolacha. Por meio dos nossos grupos de voluntárias, conseguimos doações para oferecer cada vez mais uma refeição melhor aos pacientes. Além disso, precisava de um espaço mais acolhedor, porque a gente percebe que o hospital está cada vez com um ambiente mais humano, fazendo com que o paciente se sinta bem, mesmo sabendo que a luta será grande”.