Tuberculose ainda não foi erradicada no Brasil e médica da Santa Casa fala sobre a doença

Dra Priscilla Pacco

Por ano, 80 mil casos de tuberculose são registrados no Brasil e o país tem um terço (33%) de toda a carga da doença das Américas. Além disso, figura no grupo de nações que reúne quase 40% de todos os casos de tuberculose do mundo.

Com o objetivo de conscientizar a população em relação ao impacto da tuberculose no mundo e divulgar estratégias de prevenção e controle da doença, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estabeleceu o dia 24 de março como o Dia Mundial de Combate à Tuberculose.

Em entrevista, a médica clínica geral da Santa Casa de Ourinhos, Priscilla Oliveira Placco, ressaltou diversas questões importantes sobre a doença. Confira:

A Tuberculose é uma doença contagiosa? Como é a transmissão?

Dra. Priscilla: Tuberculose é uma doença infectocontagiosa, causada por uma bactéria – Mycobacterium bovis, o bacilo koch, que afeta principalmente os pulmões. A doença é transmitida pelo ar, embora seja preciso um longo tempo de exposição da pessoa com o doente para que aconteça contágio. Pode ser fatal e progride silenciosamente. Quando uma pessoa infectada tosse, ela elimina gotículas que contêm bacilo Koch, que acaba sendo aspirado pelas pessoas que estão por perto, o que faz com que passe pela traqueia e se distribua pelos pulmões. Se os mecanismos de defesa do organismo estiverem perfeitos, a reação inflamatória provocada pelo bacilo será defendida, muitas vezes sem o paciente se dar conta do que aconteceu. Caso contrário, num período de tempo que varia até um ano, o paciente desenvolverá a doença.

Quais são os principais sintomas?

Dra. Priscilla: Tosse por mais de duas semanas é o principal sintoma. Também podemos citar: febre baixa – mais comum no final da tarde, produção de escarro/catarro esverdeado, amarelado ou com sangue nos casos mais avançados, fraqueza/cansaço, falta de apetite, emagrecimento e sudorese.

Existem pessoas que são mais suscetíveis à doença?

Dra. Priscilla: Todos nós somos susceptíveis, mas o risco maior de desenvolver a doença é em crianças ( 0-5 anos ), pois a imunidade celular ainda não está bem estabelecida. Também idosos, portadores do vírus HIV – em função da diminuição de defesa do organismo, transplantados, doentes com neoplasias ou sob quimioterapia, diabéticos, fumantes, alcoólatras e pessoas que vivem em aglomerações, ambientes fechados e mal ventilados , sem iluminação solar/ população de rua.

Como é feito o diagnóstico da tuberculose?

Dra. Priscilla: O diagnóstico é feito através da história clínica, da radiografia de tórax e dos exames de escarro (catarro). No exame de escarro é que identificamos a presença do bacilo koch. A presença do bacilo no exame de escarro é que torna o paciente contagioso. O diagnóstico das formas extrapulmonares é habitualmente feito pela biópsia do órgão acometido.

Como saber se a pessoa é portadora da bactéria da tuberculose, mas não apresenta sintomas?

 Dra. Priscilla: Existe um teste chamado de PPD (derivado de proteína purificada )  ou teste da tuberculina, que é feito através da inoculação subcutânea de proteínas do bacilo koch morto.

Existem diferentes tipos de tuberculose?

 Dra. Priscilla: Sim , quando o bacilo invade a corrente sanguínea , pode se espalhar  por vários outros órgãos, que é a chamada  tuberculose extrapulmonar.  Em geral, ocorre anos depois da infecção pulmonar ou da contaminação assintomática. Também podemos citar: TUBERCULOSE PLEURAL: atinge a membrana do pulmão .TUBERCULOSE GANGLIONAR:  afeta os gânglios ( linfonodos), principalmente  da região do pescoço – mais comum em pacientes com o  HIV. TUBERCULOSE ÓSSEA: costuma envolver a coluna vertebral, causando destruição de vértebras. TUBERCULOSE URINÁRIA, TUBERCULOSE CEREBRAL, que  é  a forma mais grave da doença. Ainda temos: TUBERCULOSE DOS OLHOS,TUBERCULOSE DO INTESTINO,TUBERCULOSE DO CORAÇÃO, TUBERCULOSE DA PELE , PERITÔNIOS, etc.

Como é o tratamento da doença?

Dra. Priscilla: Doentes que apresentam os sintomas da tuberculose são tratados com um esquema antibióticos (4 tipos diferentes) e o tratamento dura aproximadamente 6 meses. Quando feito corretamente o tratamento, a maioria das pessoas fica curada da infecção. Se interrompido, existe o risco de agravamento da doença e desenvolvimento de uma bactéria / bacilo  resistente à medicação. Nessa situação, o tratamento é mais longo e pode durar até 2 anos.

A rede pública oferece tratamento?

 Dra. Priscilla: Sim. O tratamento deve ser realizado nas Unidades Básicas de Saúde e com acompanhamento de uma rede assistencial para tuberculose:  profissional generalista , capacitado para atendimento ao portador da doença e seus contatos. O profissional vai observar e acompanhar o tratamento.

Como se prevenir da doença?

Dra. Priscilla: A prevenção deve ser realizada após o nascimento com a vacina BCG . Deve-se também evitar aglomerações de pessoas em locais fechados. A tuberculose pode deixar sequelas pulmonares em alguns casos e os sintomas mais comuns são tosse com expectoração e falta de ar leve.

 

.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s